Citação · Literatura · Livros · Palavras ao vento

Confissão

1443288515658

Todo mundo (ou quase) já ouvir falar em Martha Medeiros. Em uma delas, pelo menos. Há a Martha estilista e mineira, e há a Martha escritora e gaúcha. Pois bem, falo da Martha das letras, gaúcha e colorada como eu. Mas falo dela somente a pretexto de falar de Marco Cena. Nunca ouviu falar? Nem eu. Até comprar o último livro da Martha só por causa dele. Ou melhor, por causa dela: a capa.

Sim, você já deve ter adivinhado: Marco Cena é o designer gráfico que pensou, projetou, criou, desenvolveu, ou_ em uma gíria que resume tudo_ “bolou” a sedutora capa de “Simples Assim”. Mas, ah, bem sei que simplicidade mesmo, só no título. Não é nada simples transmitir tantos conceitos em uma única imagem. Há, sim, muito estudo por trás de uma capa. Só fui ter essa compreensão quando me deparei com o fato de que o livro que iria publicar, meu primeiríssimo livro, precisava_ lógico!_ de uma capa.

Mas como estampar para o quem-sabe-futuro-leitor um conjunto de ideias que desse conta de apresentar o conteúdo do livro? Como chamar a atenção desse quem-sabe-futuro-leitor em uma livraria com centenas ou milhares de outros livros tentadores? Havendo uma única chance para fazê-lo (a menos que você seja um autor conhecido ou renomado, cujo nome vende por si), essa chance é a capa. E por isso, não pode ser desperdiçada. Tem de ser instigante, provocativa, insinuante, imaginativa. Tem de fugir do óbvio, acertar o alvo, mexer com as sensações, sacudir as emoções. Tem de ser, simplesmente, sedutora.

A capa de “Simples Assim” me seduziu. Poderia fazer uma análise semiótica para explicá-la. Mas a verdade é que não careço de explicação. A mim, basta-me contemplá-la. Apenas olho e sinto. Olho sem pensar, porque, afinal, “Pensar é estar doente dos olhos.”

Marco Cena roubou_ com o perdão da redundância_ a cena. Sua capa é um espetáculo. Martha Medeiros é escritora consagrada, dispensa artifícios imagéticos. Mas leio-a aqui e ali, e releio-a em mais de uma dezena de seus livros que povoam minha estante. Então, preciso confessar: com todo o respeito, estimada Martha, desta vez comprei uma capa. E levei pra casa mais um livro seu. Simples assim.

———————————————————————————————————-

Aqui vai um trechinho da crônica que dá título ao livro. Serve para começar a semana, serve para o restante dela também. Mas pode servir também como uma ética ou um conselho para a vida.

“Como é que tem que ser? Se te perguntam, responda. Se te emprestam, devolva. Sem dinheiro, não compre. Se te dão, agradeça. Se te confiaram, cuide. Se te agridem, afaste-se. Se te pagaram, entregue. Se cansou, pare. Se colocou no mundo, crie. Se contratou, pague. Se gostou, fique. Se não gostou, recuse. Se errou, desculpe-se. Se acertou, repita. Se tem que fazer, faça. Se prometeu, cumpra. Se vai atrasar, avise. Se te necessitam, ajude. Se você precisa, peça.

É feito um relógio. Tique-taque, no ritmo da eficiência. Porém, as pessoas fogem desse esquema porque acreditam que ficarão engessadas, que serão chamadas de caretas ou que terão uma existência simplista. Que bobagem. Elas apenas adiantarão seu lado a fim de ganhar tempo para se dedicarem à anarquia da vida, aquela que, aí sim, nunca teve tique-taque. Se gamar, invista. Se sofrer, azar. Se der frio na barriga, celebre. Se vacilar, tente de novo. Se parecer longe, vá igual. Se nunca fez, arrisque. Se der medo, vença-o. Se não souber, invente. Se falhar, ria. Se cansou, viaje. Se calor, praia. Se calhar, Londres.”

MEDEIROS, Martha. Simples Assim. 1.ed. Porto Alegre, RS: L&PM, 2015, p.234.

Anúncios

7 comentários em “Confissão

  1. Bom dia minha querida!!!
    Muito lindo teus escritos Cris, e Martha Medeiros foi muito feliz na escolha dessa capa que tá linda mesmo, de emoldurar.Gosto muito da MM e da maneira clara e direta com que ela escreve.
    O blog tá lindo Cris!

    Um grande beijo e uma ótima semana p você ❤

    PS Ahh.. e saudações gremistas !! kkkkk

    Curtir

  2. Cris, comprarei teu livro mesmo com capa de uma cor só ou mesmo sem capa, adoro ler o que escreve.
    Quanto o texto da Martha, concordo plenamente, vamos bem rápido pra parte anárquica, que não é feita só de festa, É fácil falhar e sorrir? Beijos Cris

    Curtir

    1. Ahhh, Marina…o que é que eu faço com tanto carinho? Fico até sem jeito…Muito, muito obrigada mesmo, querida!!
      Mas, olha, preciso ser sincera: acho que anárquico ficou o meu texto, porque acabei passando a impressão errada: eu me referia a minha primeira publicação acadêmica, que foi há quase 10 anos…hehehe… Bem que eu gostaria de estar publicando alguma coisa na área literária…seria a realização de um grande sonho!
      Beijão e boa semana pra vc, minha querida!!

      Curtir

  3. Quero ater-me apenas à alegria que me invadiu ao saber de um livro teu!
    Estou como a Marina no comentário acima: não importa se de uma só cor, ou mesmo sem capa!
    Parabéns e deixou-me ansiosa.
    Saberemos por aqui? Beijo!

    Curtir

    1. Ana Paula querida,

      Vocês me emocionam com tanta demonstração de carinho!! Nem sei como agradecer!
      No texto, eu falava de um livro já publicado, mas isso foi há tempos e foi na área acadêmica. Se algum dia houver uma publicação literária, vocês serão, sim, as primeiras a saber!!!
      Por enquanto, tudo são sonhos…tão bom sonhar, né?
      Um bjo afetuoso pra vc!!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s